Imprimir  

Serão mesmo as pessoas o activo mais importante de uma organização?

Será correcta esta banalização? São mesmo todas as pessoas ou são apenas as "pessoas certas" o activo mais importante de uma organização?
A falta de foco nas "pessoas certas" está a provocar sérios problemas no seio das organizações. Muitas empresas aceitam que terem o quadro de pessoal totalmente preenchido é a chave para o desempenho e produtividade. Esta atitude pode causar resultados negativos sobre a contratação de novos colaboradores, o desempenho da equipa, e em última análise, na rentabilidade. Tipicamente são contratados colaboradores a pensar-se nas necessidades actuais e pouco no seu potencial de crescimento e contributo futuro para a organização, afectando-se desta forma os resultados a prazo.
 
A actual crise económica reforçou o pensamento que tudo pode mudar de uma forma inesperada, sendo fundamental a flexibilidade e a inovação nas respostas. Apesar de provavelmente não existir uma resposta perfeita para a equação pessoas, produtividade e performance, há uma abordagem que é fundamental para a rentabilidade: ter a pessoa certa no lugar certo fazendo o que é importante.
 
 
(comentário Daniela Moreira em 08.10.2012)
 
 
 
 
 

Voltar

 
 

Rua Sousa Aroso, 556, 4o esq/4o esq Tr., Matosinhos, 4450-287, PT
P:+351 22 939 67 00

Siga-nos online
 

 
© 2017 Dale Carnegie & Associates, Inc..
Todos os Direitos Reservados
 
.
projecto de site e desenvolvimento por Americaneagle.com